Editoriais Uni carioca RC

Editorial - Diferentona


Modelo:  Camila Brito

Maquiadora:     Mayara Cristina 


“Diferentona” porque SIM!


A sociedade atual prega uma visão de uma atualidade onde o diferente é legal, porém todo esse discurso cai por terra em seu cotidiano. São tantas regras que acabam gerando uma geração oprimida. Querem mandar no seu cabelo, na sua roupa, no que você fala e principalmente na sua identidade. 



“ Listra não combina com estampa.“

“ Esse cabelo está muito cheio, deveria fazer um relaxamento”

“Strogonoff com feijão? Eca, não combina.” 

“ Uma maquiagem forte a essa hora do dia?”

“ Esse jeito de falar e de vestir nem combina com você.” Afirma a voz de muitos da sociedade - graças a Deus não são todos-



O pior é que muitas pessoas querem ser diferentes para se enquadrar e ser aceitos pelos outros, ou seja, quer se encaixar nos padrões de alguém. Anulando a si mesma.  


Essa nova transformação é quem você realmente é? Ela te faz se sentir completo, bem ou confortável ? Se sim, segue firme porque não sou eu que posso determinar quem você vai ser.


Baseado nesta observação nasceu o Editorial "Diferentona". Se observar o look é uma anágua, casaco preto de gola alta, sandália plataforma de cor prata e com meia de algodão. O cabelo irreverente e a make - bem discreta - com sombra vermelha e amarela. Isso não é muito comum né? 

Disseram até assim: “Horrível isso eu não usaria, isso é coisa de louco”


O conceito é baseado em diversos questionamento. Quem disse que preciso seguir a moda ou vestir o que as pessoas estão usando? Quem disse que meu cabelo tem que ser lambido ou volumoso? Quem disse que tem problema ter uns quilinhos a mais ou ser magérrima? - Desde que não prejudique a saúde -


O Editorial Diferentona veio para lembrar-lhes que você pode ser quem quiser! Sem se preocupar em se enquadrar às imposições. Assim como a modelo não se enquadra na moldura, também pode ser você na vida.  


Crie sua moda, decida como sairá com seu cabelo e não limite sua criatividade. O importante é não anular quem você realmente é, e sempre respeitando a diferença do outro.

Te garanto que não será nada fácil, até porque o diferente sempre incomoda. No entanto, será libertador! Só assim perceberá o quão bom é ser diferente e cada dia mais fortalecerá quem és.


Ser diferente é normal!


E aí temos mais “diferentonas” por aí?